Dinastia de família policial: Famílias de terceira geração

Compartilhe!

              Em continuidade ao registro de famílias tradicionalmente integradas por Policiais Militares, vamos enfocar algumas das que são já se encontram na terceira geração na PM/PB.         No decorrer das décadas de 1920 a 1950 existiram na Polícia Militar três irmãos Fernandes.  O Coronel Elias Fernandes, que foi Comandante Geral, várias vezes, e teve importante participação nas lutas que a Corporação teve em São Paulo, em 1932 na revolução constitucionalista, e em Natal, na intentona Comunista, em 1935. O Coronel José Fernandes da Silva, que também participou desses mesmos acontecimentos. O Subtenente Cícero Fernandes, que passou para a reserva no posto de 2º Tenente.  Esses policiais militares eram tio avô de Vaumir do Nascimento Fernandes, que também foi Coronel da PM (Aspirante de 1975, formado na Bahia), integrou o Quadro de Combatentes e depois passou para o Quadro de Saúde na condição de Médico psiquiatra.  O Coronel Vaumir é o pai do Major Vagner Fernandes e do Capitão Guilherme Herculano Fernandes, ambos com destacadas atuações em atividades operacionais no âmbito da Corporação. Também é filha do Coronel Vaumir, o Soldado Bombeiro Militar Eva Vilma Herculano Fernandes.       Antônio Costa Filho foi Aspirante a Oficial em 1958 e seu irmão Arnaldo da Silva Costa, alcançou a mesma situação em 1967. Ambos chegaram ao Posto de Coronel e gozaram de muito prestígio na Corporação graças ao preparo técnico e intelectual que adquiriram ao longo da carreira. Antônio Costa foi um dos mais atuantes Presidentes do Clube dos Oficiais e foi pai de Cláudio Costa que foi Capitão da PM e deixou a Corporação para ingressar na Polícia Federal, como Delgado.       Outro caso que constituiu o que aqui denominamos de dinastia policial é a família Simões, formada inicialmente por quatros irmãos: Gilson Simões, que faleceu no Posto de Major, e foi um dos Oficiais mais operacionais da sua época; Jonas Simões, um exemplo de dignidade profissional que foi para reserva no Posto de Coronel; Gilberto Simões, do Quadro da Administração, que passou para a reserva no Posto de Capitão, tendo se notabilizado como instrutor de Educação Física na Unidade de Ensino da Corporação; e o Sargento Simões, este ainda no serviço ativo. O Capitão Gilberto Simões é pai do Capitão Cassimiro Simões, que se encontra em atividade. O Major Gilson Simões é pai dos Capitães Eliel Simões e Elaine Simões, e do Cabo Eleilton, todos no serviço ativo. Todos os integrantes da família Simões são vibradores e muito dedicados à causa policial militar.      Embora a maioria dos seus integrantes tenha feito carreira no Corpo de Bombeiros, a família Rufino começou na Polícia Militar. Antônio Rufino foi Subtenente, e exerceu durante muito tempo atividades internas na Corporação e teve três filhos que ingressaram na Polícia Militar: Ednaldo Tavares Rufino, um dos Oficiais mais preparados tecnicamente e em termos intelectuais da sua época, e que alcançou o Posto de Coronel e foi Subcomandante Geral, funções em que veio a falecer; Edmilson Tavares Rufino, mas conhecido como Sargento Mica, era um policial de muita habilidade operacional, e faleceu no serviço ativo, no posto de 1º Tenente; Walber Tavares Rufino, que iniciou a carreira na Polícia Militar, mas como sempre prestou serviço no Corpo de Bombeiros, passou a pertencer àquela Corporação depois que ela se tornou independente, atualmente ocupa o Posto de Coronel e é um técnico de reconhecida  qualificação profissional na sua área.  Edmilson Rufino é pai do Tenente Jailson Sales Tavares e do Tenente Coronel Josilene Sales Tavares, ambos do Corpo de Bombeiro, onde gozam de elevado conceito.  O Coronel Walber Rufino é pai do Tenente Thales Pann Souza Rufino, também do Corpo de Bombeiros.      Outra tradição de integrantes da mesma família na Policia Militar começou na década de 1940 com o ingresso na Corporação de Manuel Alencar que chegou ao Posto de Capitão e faleceu ainda no serviço ativo. Alencar foi pai de Rubens Inácio Soares de Alencar, Rutinaldo Alencar e Robson Alencar. Todos chegaram ao Posto de Coronel e exerceram Comando de Unidades Policiais.  Rubens Alencar é pai de Juliana Carla da Silva Alencar, atualmente no Posto de Capitão prestando serviço na Diretoria de Apoio Logístico.        Joaquim Galdino de Souza assentou  praça na PM em 1943 e passou par a reserva em 1968, no Posto de 2º Tenente. Posteriormente seus filhos Marcos Assis de Souza e Marinaldo Assis e Souza também ingressaram na Corporação e chegaram ao Posto de Coronel. Marco Assis é pai de Thiago de Assis Magalhães de Souza, que atualmente está fazendo o Curso de Formação de Soldados. Mayara Rachel Bezerra de Souza, uma das filhas de Marinaldo, também seguindo a aptidão policial ingressou na Polícia Civil onde ocupa as funções de Escrivã.               A família Borba na Polícia Militar foi formada inicialmente pelos por irmãos: Valderêdo Borba de Souza, Vilson de Souza, Walter Lins de Souza e José Valter Dutra de Souza. Os dois primeiros chegaram ao Posto de Coronel e já passaram para a reserva, depois de Comandar Unidades policiais no interior do Estado e exercer outras importantes funções. Vilson Dutra é pai do Cabo Edielk Valmery Alves de Souza, que presta serviço no 5º Batalhão. José Valter foi Sargento, passou para a reserva no posto de 2º Tenente e é pai de Vagner Dutra Brasil, que é Soldado.  Atualmente Walter Lins, um oficial de alta qualificação profissional, é Tenente Coronel e já ocupou importantes funções de Comando. Integra ainda esse grupo familiar o Cabo José Dutra de Souza, o primeiro da família a integrar os quadros da Corporação, e seu filho Gilvan Dutra de Souza, que passou para a reserva como Tenente. Também faz parte desse grupo o Sargento Edson Dutra Crispim, que é primo dos Coronéis Dutra.       Outra família de policiais militares formada por irmãos, filhos e sobrinhos é a constituída pelos irmãos Coronel Ardnildo Morais dos Santos, e Sargento Edmilson Morais dos Santos, ambos na reserva, e o Subtenente Armando Morais dos Santos, que presta ainda serviço no Hospital Edson Ramalho.  O Coronel Ardnildo prestou relevantes serviços à Corporação, sendo um dos grandes responsáveis pela criação do atual sistema de Ensino da Polícia Militar, destacando-se pelo trabalho que realizou, por muitos anos, no Comando do Centro de Ensino.  Ardenildo é o pai do Tenente Coronel Arnaldo Sobrinho, um dos Oficiais superiores da Corporação de melhor preparo técnico e intelectual da atualidade. Também são filhos de Ardenildo o Capitão Adenilson Morais e o Sargento Adilson Morais, ambos ainda em atividade e prestando bons serviços.        Entre as muitas famílias de policias formadas só por irmãos podemos citar os seguintes casos:     - Manuel Benício e Antonio Benício, Oficiais que serviram à Corporação nas décadas de 1910 a 1940 e que prestaram relevantes serviços no combate aos grupos de cangaceiros, comandando as famosas Patrulhas Volantes e mas lutas de Princesa, em 19 contra os grupos armadas do Deputado José Pereira e Natal em 1935, na Intentona Comunista.;  - Nivaldo Correia de Oliveira, e Edvaldo Correia que foram Coronéis e Everaldo Correia que foi Capitão no Quadro de Oficiais da Administração;   - Macedônio Mariano de Oliveira e Manuel Mariano de Oliveira, que foram para a reserva no Posto de Tenente Coronel e tiveram importantes participações no Comando da Operação Manzuá;  - Afonso Gomes de Carvalho e Itamar Gomes de Carvalho, que foram Coronéis e Comandaram Unidades policiais;  - No serviço ativo temos os casos do Major Neubom Nascimento de Lima e do Capitão Gutemberg do Nascimento e  ainda o caso do Tenente Coronel Onivan Elias, um dos Oficiais de mais elevado preparo técnico profissional da Corporação, o Capitão Onierberth Elias, que entre os grandes feitos na sua brilhante carreira, consta o fato de ter participado de uma missão de paz no continente Africano;  - Ainda nessa situação temos o Tenente Coronel Carlos Roberto de Sena e do Capitão Luiz Alberto da Silva de Sena, dois ilustres Oficiais que contam com extensas folhas de bons serviços prestados á Corporação.       Ainda com essas características de família registramos o caso dos primos Cabral de Vasconcelos.  O coronel José Arnaldo Cabral de Vasconcelos, Oficial do Exército, foi Comandante da Polícia Militar de 21 de janeiro de 1939 a 16 de agosto de 1939. O Coronel Glauber Cabral de Vasconcelos, também do Exército, foi Comandante de 16 de marco de 1971 a 15 de março de 1975. O Coronel Geraldo Cabral de Vasconcelos, Oficial da própria Corporação, foi Comandante de 1 de agosto de 1986 a 10 de dezembro de 1986.    

Compartilhe!

Posts Relacionados:


Deixe um comentário

1 Comentário em "Dinastia de família policial: Famílias de terceira geração"

Notificação de
avatar
Ordenar por:   Recentes | Antigos | Mais Votados
Bombeiros em Filatelia
Visitante

Obrigado pela lembrança.