Instalação de Posto Policial: Um grande evento em 1984

Compartilhe!

     Durante muito tempo a principal forma de execução de policiamento executado pela Polícia Militar era através dos Postos Policiais, nas cidades de maior porte e dos Destacamentos, nas demais cidades.  Essa modalidade de policiamento, que era feito
á pé, tinha atuação em áreas bem restritas, o que permitia uma melhor aproximação com a comunidade local. O Efetivo empregado nesses serviços era permanente, o que também facilitava essa integração.  A polícia conhecia a população local e ela conhecia a polícia.   Era o que atualmente denominam de policiamento de proximidades.
         Mas o crescimento populacional e econômico das grandes cidades e, em consequência, o aumento da violência em todas as camadas sociais, principalmente no decorrer das décadas de 1970, sem que o efetivo da Polícia Militar pudesse acompanhar essa evolução, foram aos poucos inviabilizando a continuidade dessa forma de policiamento. O avanço tecnológico, em particular nos meios de comunicações,  também exigia mudanças nesse sentido.
         No inicio da década de 1970 teve início o policiamento efetuado com veículos dotados de equipamento de rádios transceptores, e controlados por uma central de comunicações, o que passou a ser denominado de Rádio Patrulha.   Com essa forma de atuação a polícia ganhou maior mobilidade e suas ações ganharam um maior espaço.  Mas a disponibilidade de meios materiais e humanos para esse fim nunca foram suficientes, fazendo com que cada Guarnição Motorizada tivesse que cobrir uma área com extensão que não permitia aproximação com as comunidades. Com isso essa integração foi, aos poucos, se diluindo.  O policiamento à pé realizado pelos integrantes dos Postos Policiais, que tinha uma relação vertical com a comunidade, ou seja, mais profunda, mais próxima, foi substituído pelo policiamento motorizado, que tinha uma relação mais horizontal, ou seja, apenas superficial, com sociedade.
     Por esse motivo, mesmo reconhecendo os inegáveis benefícios causados pelo Policiamento Motorizado à sociedade, as populações dos Bairros, em todas grandes cidades do Estado, sentiam falta dos Postos Policiais e, através dos seus representantes políticos, cobravam providências das autoridades nesse sentido.    Na década de 1980 a instalação de um Posto Policial em um Bairro era motivo de comemoração pela comunidade, e um ato prestigiado pela classe política que via nessas providências, uma importante forma de prestação de serviço público. Era também uma forma de barganhar votos.
     Neste contexto, em 1984, o Tenente Coronel Paulo Marcelino, Comandante do 2º Batalhão, sediado em Campina Grande, inaugurou um Posto Policial no Bairro de Monte Castelo, evento este que contou com expressiva representação política local como Álvaro Neto e Robson Dutra. Naquela época, como até hoje, muitos outros Postos foram instalados em diversas cidades. Porém, como o efetivo Destacado para cada um desses Postos era insuficiente para o serviço, nunca mais a relação da Polícia com as comunidades locais foram suficientes para devolver a sensação de segurança indispensável para o bom convívio social.

Compartilhe!

Posts Relacionados:


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificação de
avatar