Primeira reinvindicação por aumento na PM da Paraíba: Prisão de Oficiais

         
Durante o mês de setembro de 1959, quando Pedro Moreno Gondim exercia o Governo da Paraíba em caráter interino (Na condição de vice-governador, pois o titular, Flavio Ribeiro estava gravemente enfermo), ocorreu, no âmbito da Policia Militar, um movimento reivindicatório por aumento de vencimentos, que resultou na prisão de um grupo de oficiais e na não participação da tropa no desfile cívico militar daquele ano.
O fato, como era natural, teve uma grande repercussão na impressa local e foi tema de inflamados discursos na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal da capital. Como alguns dos Oficiais que foram presos eram universitários, ocorreu também um movimento estudantil, com passeatas e atos públicos em protestos a tais medidas.
      No desdobramento dos fatos, o Comandante pediu demissão, a Polícia teve o maior aumento da sua história, e os Oficiais prestaram homenagem ao Governador através de um banquete no Restaurante Casino da Lagoa, o mais chic da cidade na época.
         O Comandante Geral da Corporação era o Coronel José Maurício da Costa, que estava exercendo essas funções pela sexta vez, uma delas no período de 1932 a 1935, portanto vinte e cinco anos antes, o que revela que ele era um Oficial muito prestigiado politicamente.  José Maurício era um autodidata, como muitos outros oficiais da sua época, que ingressou na Polícia Militar em 1928 e teve diversas passagens para a reserva e retorno ao serviço ativo, conforme permitia a legislação então vigente.
No posto de segundo Tenente ele participou das lutas contra os grupos armados liderados pelo Deputado José Pereira, em Princesa em 1930. No decorrer dessas lutas ele foi promovido por bravura. Em 1931, como Capitão, José Maurício comandou uma Companhia que participou, ao lado de todo efetivo do 22º Batalhão de Caçadores, atual 15º Batalhão de Infantaria, da repressão a uma rebelião militar ocorrida em Recife. A participação da Polícia Militar nessas ações está registrada de forma detalhada em um Relatório elaborado pelo Capitão Maurício e que foi publicado no Boletim do Comando Geral no dia 2 de janeiro de 1932. 
    Essas colocações sobre José Maurício são para chamar a atenção para a importância histórica da nota publicada no Boletim do dia 5 de setembro de 1959, de sua lavra e na qual ele relata acontecimentos relativos ao movimento reivindicatório ocorrido naquela oportunidade, expondo a sua versão sobre os fatos. Embora esses acontecimentos já tenham sido objeto de uma postagem nesse espaço com o título “o maior aumento da história da Polícia Militar”, publicamos essa nota na íntegra como forma de sua complementação.
Transcrição da nota publicada no Boletim do Comando Geral da PM-PB dia 5 de setembro de 1959. 
 

Posts Relacionados:


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificação de
avatar
wpDiscuz