A PM da Paraíba no ano 2000: O Policiamento da capital

Compartilhe!

  
Como parte da publicação de um relatório elaborado no ano 2000, no qual se buscou descrever a estrutura e funcionamento da PM da Paraíba no final do primeiro milênio, para efeito de comparações com situações futuras, postamos em um artigo anterior, no qual relatamos como essa Corporação estava estruturada.  Nesta parte dos relatos vamos abordar, em linhas gerais, como era executado o policiamento na capital do Estado.
1.      O Policiamento Ordinário
De acordo com a natureza do serviço ou as circunstâncias em que a Polícia Militar desenvolve suas atividades operacionais, essas ações podem ser classificadas em policiamento ordinário, policiamentos especiais e policiamento de grandes eventos. O policiamento ordinário pode ser realizado de formas distintas, conforme a destinação das unidades que o executam.
1.1.O policiamento da capital e cidades vizinhas
O policiamento de João Pessoa e das cidades vizinhas é executado pelas Unidades sediadas na Capital (1° BPM e 5° BPM). Participam também desse policiamento, o Grupo de Ação Tática e o Esquadrão de Cavalaria, executando policiamentos especiais, em locais ou situações próprias. Essas atividades são coordenadas pelo Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM)
a) O COPOM
Atualmente a principal atividade do CPC está concentrada no Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM). È nesse centro, atualmente Comandado pelo Capitão José Jorge de Oliveira, onde ocorre o controle das operações realizadas na capital e nas cidades de Bayeux, Santa Rita, e Cabedelo realizadas pela Polícia Militar. Dotado de moderna instalação, localizada no quarto andar do Quartel do Comando Geral, e dispondo de avançados meio de comunicação, com desenvolvimento avançado de projetos para total informatização, o COPOM é operado, permanentemente, (vinte e quatro horas por dia, todos os dias) por equipes formadas, cada urna, por quatro telefonistas, (Soldados Femininos) quatro operadores de rádios, despachantes de viaturas (Graduados) e um Capitão, coordenador dessas atividades. Esses grupos se revezam a cada seis horas. Esse órgão é responsável pelo policiamento da capital e cidades vizinhas (Cabedelo, Bayeux e Santa Rita). O COPOM recebe solicitações da comunidade, para atendimentos de ocorrências, através do telefone 190. Para efetuar o atendimento desses pedidos, em média noventa e seis por dias, o COPOM aciona, por meio de rádios transceptores, guarnições motorizadas postadas nas proximidades do local da ocorrência. Para esse trabalho o COPOM conta, diariamente, com vinte e três Guarnições, sendo quatorze do 1° BPM, sete do 5º BPM, e duas do Grupo de Ação Tática (GATE), além de efetivos do Esquadrão de Cavalaria. Cada Batalhão mantém um oficial de serviço, com uma guarnição motorizada, durante as vinte e quatro horas, exclusivamente com a função de Comandante do policiamento da unidade (CPU). Esse oficial, geralmente um Tenente, cumpre as determinações gerais do Comandante da Unidade e as específicas do Capitão Coordenador do COPOM. Nas Companhias também são escalados oficiais, com a denominação de Oficial de Operações, com esse mesmo papel no âmbito dos respectivos setores.
b) O 1° Batalhão da Policia Militar (Sede)
O 1º Batalhão, atualmente sob o Comando do Tenente Coronel José Alves de Morais, está sediado no centro da capital, em um prédio antigo, tombado pelo Patrimônio Histórico, situado na Praça Pedro Américo, no centro comercial da cidade antiga. Possui cinco Companhias das quais quatro estão descentralizadas (Cabedelo, Bayeux, Santa Rita e Trânsito, no Roger). As Companhias descentralizadas gozam de relativa autonomia administrativa e têm áreas de atuação definidas. O efetivo aquartelado na sede do Batalhão, distribuído em uma Companhia (2ª Cia) e no Pelotão de Comando e Serviços, é aplicado nos Policiamentos, á pé e motorizado, na área correspondente a Cidade dos Funcionários I, Bairro dos Novais, Alto do Mateus, Cruz das Armas, Ilha do Bispo, Jaguaribe, Centro, Roger, Tambiá, Torre, Tambauzinho, Expedicionários e Bairro dos Estados. Com esse efetivo também é feita a guarda da Penitenciária do Roger. São ainda da área de responsabilidade do 1º BPM, as cidades de Cabedelo, Santa Rita, Bayeux, Lucena e Espírito Santo, que são policiadas por Companhias destacadas. O policiamento motorizado, executado pelo efetivo da sede do Batalhão é realizado por seis Guarnições, sendo quatro fazendo pontos bases e rondas (Cruz das Armas, Alto do Mateus, Centro, e Torre, executando policiamento nesses bairros e adjacências), e duas em rondas exclusivas nos setores de maior concentração de agências bancárias. Uma Guarnição Especial, composta por dez integrantes, realiza batidas policiais, a tarde e a noite, em toda área de atuação do 1º BPM. Ainda integrando o policiamento motorizado, duas duplas de motoqueiros, em cada turno, realizam rondas nos colégios da área, fazendo prevenção ao uso drogas. No policiamento a pé, são lançadas, diariamente, pela manhã e á tarde, doze duplas de policias militares, no centro comercial. No final de ano esse policiamento é reforçado com efetivos das atividades burocráticas do Comando Geral, Diretoria de Apoio Logístico e Centro de Ensino, chegando, às vezes até a cento e cinquenta homens. Ainda como policiamento dessa modalidade são mantidos em funcionamento doze Postos Policiais Militares, com dois ou três homens em cada, diariamente. Outras atividades em que se emprega considerável efetivo são as escoltas de presos para ser ouvidos na justiça, e as custódias de presos em tratamento de saúde nos hospitais. Nas escoltas, com duração média de três horas cada, são empregados, (nos horários de maior atividade comercial) às vezes até 30 homens. Nas custódias, realizadas durante vinte e quatro horas, com dois homens para cada preso, por turno, é comum se empregar, às vezes, mais de cem homens, em revezamento. A guarda da Penitenciária do Roger é composta por vinte e cinco homens por dia, resultando no emprego total de setenta e cinco homens. Esse policiamento é comandado por um Oficial, que permanece no local durante as vinte e quatro horas, em regime de escala. Quando se registra clima de intranquilidade no interior do Presídio, esse efetivo é reforçado com emprego do Canil, Esquadrão de Cavalaria e Guarnições do GAT. O efetivo empregado na Guarda do Palácio da Redenção, na residência oficial do Governador e na sua segurança pessoal, controlado diretamente por oficiais do Gabinete Militar do Governador, é oriundo do 1º BPM.
c) 1ª Companhia da Policia Militar (Santa Rita)
Aquartelada em antigas instalações do Parque de Exposições de Mimais, situada às margens da estrada que liga Santa Rita a Bayeux, a 1ª Cia., que conta com um efetivo de 234 homens atualmente sob o Comando do Major Fernando Antônio Fernandes Beltrão, é responsável pelo policiamento de Santa Rita, Lucena e Espírito Santo. Para o policiamento motorizado de Santa Rita, a Companhia escala, diariamente, três guarnições (Tibiri, Vázea Nova e Centro). Uma guarnição especial, composta por cinco homens, realiza batidas policiais, diuturnamente, em todo setor de atuação da Companhia. Como policiamento à pé, são mantidos em funcionamento oito Postos Policiais com três homens em cada, em caráter permanente. Na Guarda da Cadeia são empregados, diariamente sete homens, em sistema de reversamento. Essa Companhia é também responsável pela execução de policiamento de fiscalização permanente em pontos fixos, nas rodovias que cortam a capital e cidades vizinhas, em um policiamento denominado de Operação Manzuá. Nessa operação, realizada em conjunto com a Polícia Civil, são empregados, diariamente, em cinco postos de fiscalização, 15 Homens, só da PM. O policiamento das cidades de Lucena, Costinha e Espírito Santo, é efetuado através de Destacamentos compostos, em média por 8 Homens. Cada. Um oficial, comandando uma guarnição motorizada, fiscaliza a execução de todo policiamento da cidade.
d) 3° Companhia (Bayeux)
Instalada em um prédio Municipal, no bairro do SESI, desde 1998, a Companhia de Bayeux, sob o Comando do Capitão Francimar Vieira Lins conta com um efetivo de 93 homens para policiar a cidade. O policiamento motorizado conta com duas Guarnições que realizam rondas e fazem pontos bases nos locais de risco. Para fiscalizar e apoiar todo policiamento, um Oficial Comanda uma Guarnição motorizada que ronda toda cidade. Urna outra Guarnição é escalada diariamente especificamente para realizar batidas policiais em toda subárea. Uma dupla de motoqueiros rondas, diariamente, nas proximidades dos Colégios da cidade fazendo um trabalho de prevenção ao uso de drogas. Além desse efetivo motorizado, existe um policiamento a pé, nos Postos Policiais de Rio do Meio e Multirão, composto por homens 6 homens cada. Essa Companhia mantém também no Aeroporto, um policiamento especial, treinado para prestar informações em língua inglesa ou francesa.
e) 4º Companhia (Cabedelo)
A 4º Companhia que está instalada em prédio construído especialmente para ser utilizado como Quartel, na Paria de Carnboinha, em Cabedelo, é comandada pelo Major Marinaldo Assis de Sousa e conta com um efetivo operacional de 202 de Homens para execução do policiamento em toda érea de Cabedelo, e nas praias de Intermares, Bessa, Manaíra Tambaú e Cabo Branco e os bairros João Agripino, Brisa Mar, Tambauzinho e Expedicionários. Para policiar essa área são escalados diariamente quatro Guarnições Motorizadas, Cinco homens de Bicicletas, dois Motoqueiros e uma Guarnição comandada por um oficial para apoio, e fiscalização dos serviços. Nessa área ainda é efetuado policiamento á pé, através de 3 Postos Policias com o emprego de 6 homens em cada.
f) 5º Companhia (CPTRAN)
A Companhia de Trânsito (5º Cia) está instalada no bairro do Roger, em um prédio ocupado pela Policia Militar desde 1935, nas proximidades do Parque Arruda Câmara, o Jardim Zoológico e botânico da cidade. Comandado pelo Capitão Marcos Alexandre de Oliveira Lima Sobreira a Companhia dispõe de um efetivo de 128 homens. Responsável pelo policiamento de Trânsito em toda Capital, a CPTRAN teve suas atividades reduzidas com o surgimento, no decorrer de 1989, da municipalização do Trânsito. Além de realizar o policiamento normal em alguns pontos da cidade, e nas proximidades de Repartições Públicas como Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Palácio da Redenção, Centro Administrativo e outras, e apoiar as atividades dos Agentes Municipais de Trânsito e atuar nos grandes eventos, a CPTRAN continua responsável pelo levantamento de acidentes em toda capital. Para execução dessas atividades são lançados diariamente duas Guarnições motorizada e duplas de motoqueiros além de policiais à pé em diversos pontos da cidade. Grande parte do efetivo da Companhia é empregado no reforço ao policiamento de outras Subunidades do Primeiro Batalhão, e na realização de blitizem.
g) O 5º BPM
Sediado no Conjunto residencial Valentina Figueiredo, o 5º BPM é responsável pelo Policiamento na área da capital, correspondente aos Bairros do Castelo Branco, Bancários, Mangabeira, Valentina, José Américo, Geisel, Cristo, Grotão, Cidades dos Funcionários II a IV, Distrito Industrial, Jardim Veneza. São ainda da área de responsabilidade do 5º BPM as cidades de Conde, Alhandra, Caaporã, Pedra de Fogo e Pitimbú. Para execução do Policiamento Motorizado nessa área são escalados diariamente quatro Guarnições, que são fiscalizadas e apoiadas por outra Guarnição Comandada por urna Oficial, com a função de CPU. No complexo penitenciário de Silvio Porto, localizado no bairro de Mangabeira, são escalados, por turno, 29 homens e mais uma Guarnição Motorizada sob o Comando de um Oficial. O policiamento à pé é executado por efetivas destacados em dez Postos Policiais. Uma Guarnição Motorizada realiza rondas nos Colégios, em ações preventivas ao uso de drogas e assaltos. Durante o período de verão, são também reforçados os Policiamentos das Praias da área do Batalhão. Cada Cidade da área do Batalhão conta com um Destacamento, formado, em média por 12 homens cada. Esses Destacamentos, conforme a necessidade são reforçados com efetivos da sede do Batalhão. Essa Unidade é comandada pelo Major Getúlio Bezerra de Macedo.
2.      Policiamentos Especiais
O GAT, (Grupo de Ação Tática Especial) que recebe treinamento específico para operações especiais, dispõe de viaturas, armamento e equipamentos dos mais modernos, é subordinado diretamente ao Comandante Geral. As guarnições em serviço permanecem em rondas e à disposição do COPOM para apoio em ocorrência de maior gravidade, sendo comum, nessas circunstâncias, seu deslocamento até para no interior do Estado. Instalado no Quartel da DAL, em Marés, o Gat é Comando pelo Capital Onivan Elias.
 O esquadrão de Cavalaria, com Quartel no Parque de Exposição de Animais, no Bairro do Cristo, Sob o Comando do Tenente Coronel Wilde de Oliveira Monteiro, também é ligado diretamente ao Comandante Geral. Dispondo de um efetivo de 103 homens e empregando 38 Cavalos, executa, em caráter ordinário, policiamento a Cavalo no Parque Solon de Lucena, com seis conjuntos além de exercer idêntica atividade em outros pontos da cidade onde é difícil o acesso à Viaturas, como Bairro do Cristo, Mangabeira, e Praias, além de participar de policiamento de grandes eventos. Possui um moderno caminhão de transporte de animais, com capacidade para 14 Cavalos e 16 homens.
O Canil, que conta com um efetivo de 12 Homens e com 8 cães da raça Pastor Alemão, em atividade e mais 7 filhotes, está instalado na sede da 4' Cia, de onde é orgânico, e é empregado em eventos de grande porte. Dispondo de transporte especial esses animais e os homens que os utilizam podem ser deslocados para qualquer parte do Estado.

Compartilhe!

Posts Relacionados:


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificação de
avatar